Publicado por: clezius | junho 2, 2008

Para Pensar

Para Pensar

Nesta seção estaremos colocando pequenos textos sobre o novo avivamento e essa nova geração.

Por favor, escolha uma tema do menu no lado esquerdo.

OBS: Deixe seus comentários sobre estes assuntos em nossa comunidade online.

Despertem Os Guerreiros

Proclamem isto entre as nações: Preparem-se para a guerra! Despertem os guerreiros! Todos os homens de guerra aproximem-se e ataquem. Joel 3:9

Jovem, você se sente como se estivesse no meio de uma guerra? Que tantas coisas se levantam contra você, para te atrapalhar, te derrubar e te destruir? Às vezes parece até que o mundo inteiro se levanta contra a sua vida, o seu futuro e sua paz?

A realidade é que você está em uma guerra. Esta geração – a sua geração – está sendo perseguida como nenhuma outra. Hoje, ao redor do planeta, há uma guerra contra os jovens e as crianças deste mundo. Seja através do tráfico nas grandes cidades brasileiras, a AIDS na África, ou o aborto que chacina as crianças nos países chamados de desenvolvidos, uma batalha de vida e morte está sendo traçada contra esta geração de hoje.

Enquanto o tamanho desta guerra é algo inédito na história deste mundo, nós vemos na Bíblia dois exemplos desta mesma guerra. O primeiro exemplo aconteceu quando o menino Moisés nasceu, com o destino de ser o libertador que tiraria o seu povo da escravidão de Egito, e Faraó, rei de Egíto, mandou que todos os meninos israelitas que nascessem fossem jogados no rio Nilo.

O segundo exemplo aconteceu depois do nascimento de Cristo quando o rei Herodes mandou executar todos os meninos de dois anos para baixo, da cidade de Belém e arredores.

Nestes dois casos, o inimigo satanás se levantou contra jovens que tiveram um chamado, um destino profético em Deus, para serem libertadores e salvadores do seu povo. E em ambos os casos, apesar de promover verdadeiras chacinas das crianças, o inimigo não conseguiu impedir que aqueles jovens alcançassem seus destinos.

Você está vivo hoje porque Deus também tem um destino, uma chamada, para sua vida, e o inimigo não tem conseguido te destruir. Você faz parte de uma geração escolhida, uma geração profética, uma geração chamada para cumprir a profecia do profeta Daniel: “mas o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte, e fará proezas” (Daniel 11:32).

Eu estava pregando esta mensagem recentemente em um outro país quando um jovem, que até aquele momento não era cristão, teve um encontro poderoso com Deus e ouviu a voz audível dele o chamando para se despertar. Esta é a mensagem para sua geração, para você: que os guerreiros se despertem.

Desperta, ó tu que dormes, levanta-te dentre os mortos, e Cristo resplandecerá sobre ti (Efésios 5:14).

Paul

Deixe seus comentários sobre esta matéria em nossa comunidade online.

Jovens de Ouro

Como os preciosos filhos de Sião, que antes valiam seu peso em ouro, hoje são considerados como vasos de barro, obra das mãos de um oleiro! – Lamentações 4:2

Há alguns anos, quando eu estava começando a ministrar com jovens em situação de risco aqui no Brasil, eu estava dirigindo meu carro quando, de repente, esse versículo veio à minha mente. Em seguida eu senti que o Senhor estava falando comigo através de pensamentos muito claros.

Eu comecei a entender a diferença entre um pote ou vaso de ouro, e um que é feito de barro. O pote de barro, depois de ter passado pelo fogo, já assumiu sua forma final. Se aquele pote foi de alguma forma deformado ou distorcido, depois de ter secado não tem mais volta. Não há como o recuperar, a não ser quebrá-lo e começar de novo.

Um vaso de ouro, porém, é ao contrário. Não importa o quanto ele seja deformado, amassado ou sujo, se passar pelo fogo de novo, poderá ser refinado, purificado e reformado.

Eu senti que o Senhor continuou falando comigo, com uma seriedade que quase me assustou, dizendo que eu nunca poderia dizer que algum destes jovens era ‘caso perdido’, e que eu não poderia desistir de nenhum deles porque, mesmo sendo considerados pela sociedade como apenas barro, eles são de fato ouro. Não importa as marcas e as manchas que esta vida tem deixado na vida deles, porque Deus, com o fogo da sua presença, do seu Espírito, sempre pode purificar e recriar qualquer um.

Desde aquele dia, eu tenho visto a realidade destas palavras. Eu me lembro de um menino que eu expulsei de nosso projeto no morro aos doze anos de idade por causa do seu mal comportamento, e que logo se envolveu no tráfico, chegando a ser temido por muitos. Alguns anos depois, eu senti que o Senhor quiz eu falasse com ele, pedindo perdão por te-lo expulso ‘para sempre’, e explicando que Deus não fez isso com ele. Pouco tempo depois, a sua vida foi salva milagrosamente várias vezes, e ele ‘caiu na real’ e se entregou a Jesus. Hoje ele está em uma casa de recuperação, de onde pretende sair pregando a boa notícia de Jesus.1

O versículo anterior, no quarto capítulo de Lamentações, sempre me lembra os jovens que trabalham em boca-de-fumo:

Como o ouro perdeu o brilho! Como o ouro fino ficou embaçado! As pedras sagradas estão espalhadas pelas esquinas de todas as ruas. – Lamentações 4:1

As pedras sagradas estão espalhadas pelas esquinas de todas as ruas. Pedras preciosas, pedras sagradas, na Bíblia falam de vidas que serão edificadas em uma moradia para o próprio Deus (1 Pedro 2:5). Essas vidas são preciosas, são de ouro. Pode ser que o ouro tenha perdido seu brilho, mas eu tenho certeza que Deus vai restaurar esta geração para sua honra e glória.

Eles não são barro, são ouro.

Ele se assentará como um refinador e purificador de prata; purificará os levitas e os refinará como ouro e prata. – Malaquias 3:3a

Paul

Deixe seus comentários sobre esta matéria em nossa comunidade online.


1 Depois de sair da casa de recuperação, ele completou um curso de discipulado e missões na JOCUM, e hoje está participando na nossa igreja e caminhando com o Senhor.

Uma visão para o Brasil

Em 1992 eu estava visitando o Brasil numa viagem de missões de curto prazo. Um dia, enquanto orávamos, eu tive uma visão do mapa do país, com as cidades aparecendo como se fossem sementes. Eu entendi que o Senhor estava falando que os jovens e os adolescentes do Brasil são as sementes de um grande avivamento nessa terra. Em seguida eu vi um incêndio começar na altura do sudeste do país, indo até o norte.

Simultaneamente, um versículo Bíblico veio à mente, Isaías 61:7:

Em lugar da vergonha que sofreu,
O meu povo receberá porção dupla,
E ao invés da humilhação,
Ele se regozijará em sua herança;
Pois herdará porção dupla em sua terra,
E terá alegria eterna.

Eu comecei a orar este versículo, e a líder da equipe comentou que ela tinha acabado de receber o mesmo versículo, na mesma hora.

Com base nessa promessa de Deus, eu voltei para o Brasil no ano de 1994, e desde então tenho trabalhado em missões com essa geração.

Eu creio que logo iremos ver essa visão se cumprindo aqui no Brasil.

Paul


Deixe seus comentários sobre esta matéria em nossa comunidade online.

O Evangelho da Coca-Cola

Um maravilhoso tônico para os nervos e cérebro, e um notável agente terapêutico. – propaganda para Coca-Cola, 1890.

“Tornei-me tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns. Faço tudo isso por causa do evangelho, para ser co-participante dele.” – Paulo, 1 Coríntios 9:22b-23

Jovem, você pode se imaginar bebendo uma bebida que foi inventada na época do seu bisavô? Como seus colegas iriam reagir se soubessem que você gostava de uma coisa que foi criada no século 19? Você pode imaginar algo tão velho estando na moda hoje?

Coca-Cola foi vendida pela primeira vez no dia 8 de maio de 1886, na cidade de Atlanta, Georgia, nos Estado Unidos. Seu inventor, o farmacêutico John S Pemberton vendeu a receita em 1887, e a empresa The Coca-Cola Company foi fundada em 1892. Coca-Cola foi vendida em garrafas pela primeira vez em 1894 e em latas em 1955.

Desde seus primeiros anos, Coca-Cola tem sido promovida com um marketing agressivo. Robert Woodruff, presidente da empresa de 1923 a 1954, declarou sua intenção de que “todas as pessoas no mundo bebessem Coca-Cola como sua bebida preferida.” Coca-Cola foi a primeira empresa a patrocinar as Olimpíadas, em 1928, e tem patrocinado todas as Olimpíadas desde então, e todas as Copas do Mundo da Fifa.

Mais que 120 anos depois da sua invenção, Coca-Cola permanece sendo o refrigerante mais vendido no mundo, e continua atraíndo os jovens. Com uma receita praticamente não modificada desde o ano de 1885.

Não foi por acaso que Jesus disse que “os filhos deste mundo são mais astutos no trato entre si do que os filhos da luz”1. Uma multinacional, visando apenas os seus lucros, tem entendido a necessidade de sempre atualizar sua forma de comunicar, enquanto mantem a mesma receita de sempre (aliás, quando a empresa tentou mudar a receita em 1985, ela sofreu um grande fracasso comercial). A Coca-Cola utiliza a linguagem, as atividades, os personagens, e as tecnologias atuais para continuar vendendo sua velha bebida, como, por exemplo, as suas campanhas do Rock in Rio e da Copa do Mundo de futebol da Fifa.

The Coca-Cola Company não continua na liderança da sua categoria usando o mesmo marketing nem as mesmas embalagens do século 19. E a igreja precisa desesperadamente aprender, com o Apóstolo Paulo e com a Coca-Cola, que nós devemos nos tornar “tudo para com todos para de alguma forma salvar alguns”, fazendo isso “por causa do evangelho”2. Nossa mensagem é velha – bem mais velha do que a Coca-Cola – mas nossas formas de apresentação, nossa formas de comunicação, têm que ser da hora.

Vamos aprender com os filhos deste mundo como comunicar a nossa mensagem aos jovens. O grande milagre do dia de Pentecostes foi que, pela primeira vez, o povo ouviu a igreja “declarar as maravilhas de Deus em nossa própria língua”3. Precisamos voltar à experiência da igreja primitiva, deixando que o Espírito de Deus nos capacite para comunicar a Boa Notícia de Jesus a esta geração.

Paul


1 Lucas 16:8
2 1 Coríntios 9:22-23
3 Atos 2:5-12

Ninguém o Despreze

Não deixe que ninguém o despreze por você ser jovem. Mas, para os que crêem, seja um exemplo na maneira de falar, na maneira de agir, no amor, na fé e na pureza. – 1 Timóteo 4:12 NTLH


Paul Allen e Bill Gates

As palavras de Paulo ao jovem pastor Timóteo são tão oportunas hoje como no ano 65 dC: “Não deixe que ninguém o despreze por você ser jovem”.

Se olharmos para os últimos anos, veremos que muitas das invenções e inovações que mais têm moldado e impactado o mundo de hoje vieram dos jovens.

Em 1975, William Henry Gates III, de dezenove anos, e seus colegas Paul Allen e Monte Davidoff, escreveram um programa de computador que implementava a linguagem BASIC para o novo microcomputador Altair da MITS. Baseado no sucesso deste programa, eles fundaram uma pequena empresa chamada ‘Microsoft’. Hoje, Bill Gates é o homem mais rico do planeta, e os produtos da Microsoft, como o Windows e o Office, estão sendo utilizados na maioria dos computadores pessoais no mundo.


Steve Wozniak e Steve Jobs

No ano seguinte, 1976, um outro jovem, Steven Jobs (21 anos) e seu colega Steven Wozniak, trabalhando na garagem da casa de Wozniak, criaram um microcomputador que chamaram Apple. Hoje, os dois “Stevens” são milionários e a Apple é conhecida mundialmente por seus produtos como o iPod e o Mac.

Em 1991 um outro jovem, também com 21 anos, começou a trabalhar sozinho criando um novo sistema operacional para computadores. Este sistema, chamado Linux em honra ao seu criador, Linus Torvalds, hoje está sendo utilizado pela maioria dos servidores da World Wide Web, e parece ser a única alternativa séria ao Windows da Microsoft. Sendo desenvolvido por muitos voluntários ao redor do mundo e distribuido gratuitamente, o sistema Linux tem impulsionado uma verdadeira revolução na área de informática, o movimento de Software Livre e do Código Aberto.

A Bíblia também é repleta com histórias de jovens que ousavam a ouvir e seguir Deus, muitas vezes incendiando verdadeiras revoluções morais, sociais e espirituais nas suas e outras nações.

O jovem José1, com dezessete anos, ouviu Deus falando através de sonhos e começou uma aventura que mais tarde verá ele salvando não somente o grande país do Egito, mas também a sua própria família e consequentemente a futura nação de Israel.

O jovem Gideão2, o “menor” da sua família, recebeu a visita do anjo que o inspirou a levantar um pequeno exército de guerrilheiros que, com um pouco de ajuda sobrenatural, expulsou os Midianitas e restaurou a soberania nacional a Israel.

O jovem Daniel3, talvez ainda adolescente, foi deportado da sua terra natal para a sede internacional do Império Babilônico, onde ele se tornou governador4, foi conselheiro para três reis, e convenceu, junto com seus três amigos, o grande Nabucodonosor a servir ao único e verdadeiro Deus5.

Deus ainda está procurando jovens que não serão intimidados por causa da sua juventude, que farão grandes coisas para Ele.

Jovens, eu lhes escrevi,
porque vocês são fortes,
e em vocês a Palavra de Deus permanece,
e vocês venceram o Maligno.
– 1 João 2:14c


1. Gênesis capítulo 37
2. Juízes capítulo 6
3. Daniel 1:3 a 5
4. Daniel 2:48
5. Daniel 4:37

Windows, Office são marcas registradas da Microsoft Corporation.
iPod, Mac são marcas registradas da Apple Corporation.

Deixe seus comentários sobre esta matéria em nossa comunidade online.

 O Terceiro Tolo

Quem, então, é bastante sábio para esse momento na história? Aquele que sempre foi sábio o bastante para bancar o louco. Pois quando o sábio é tolo, o rico pobre e o piedoso mundano, necessitamos de uma loucura especial para subverter tal tolice, uma sagacidade especial para ensinar a verdadeira sabedoria.1

– Os Guiness, “The Gravedigger File”2

John Wimber, o fundador da Igreja Vineyard, contou que antes da sua conversão ele viu um homem na rua vestindo uma placa que dizia “Eu sou um louco para Cristo – Você é um louco para quem?” Anos depois, quando ele teve um encontro com Jesus na casa de um amigo, Wimber lembrou daquela cena:

Aqui eu estou, ajoelhado no chão da sala de estar do meu amigo, eu estou chorando e eu percebo que eu estou aparecendo um louco, e eu me lembro daquela coisa. É isso… Eu vou ser louco por Ele! É isso! Eu determinei no meu coração naquele momento que, a apartir daquele ponto, eu ia fazer a coisa tola aos olhos do mundo.3

Na Bíblia nós vimos três tipos de louco ou tolo. O primeiro é aquela pessoa símples, que falta uma capacidade de racionamento mais profundo. Mesmo que tais pessoas possam estar rejeitadas por certos segmentos da sociedade, Deus não as rejeita:

E ali haverá uma estrada, um caminho, que se chamará o caminho santo; o imundo não passará por ele, mas será para aqueles; os caminhantes, até mesmo os loucos, não errarão.

– Isaías 35:8 JFA

O segundo tolo, porém, está num lugar muito mais perigoso, porque é o tolo espiritual, aquele que não quer reconhecer a existência de Deus, assim se desculpando da obrigação de se submitir à Sua autoridade:

Diz o tolo em seu coração: “Deus não existe.” – Salmo 14:1a, 53:1a

Paulo explica na sua primeira carta à igreja de Corinto que muitos dos mais inteligentes deste mundo são, na verdade, tolos espirituais, enquanto aquelas pessoas que possam aparecer loucas aos olhos desse mundo são espiritualmente sábios:

Irmãos, pensem no que vocês eram quando foram chamados. Poucos eram sábios segundo os padrões humanos; poucos eram poderosos; poucos eram de nobre nascimento. Mas Deus escolheu o que para o mundo é loucura para envergonhar os sábios, e escolheu o que para o mundo é fraqueza para envergonhar o forte. Ele escolheu o que para o mundo é insignificante, desprezado e o que nada é, para reduzir a nada o que é, a fim de que ninguém se vanglorie diante dele.

– 1 Coríntios 1:26-29

É aqui que nós podemos ver o terceiro tolo, aquele que é “louco por causa de Cristo”4. Mesmo que o mundo possa o confundir com o primeiro tolo, ele é o que é por escolha própria, tomando atitudes e decisões que para o mundo apareçam loucura, por causa de Cristo e o Seu Reino:

Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo, mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus. Pois está escrito: “Destruirei a sabedoria dos sábios e rejeitarei a inteligência dos inteligentes.”
Onde está o sábio? Onde está o erudito? Acaso não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, agradou a Deus salvar aqueles que crêem por meio da loucura da pregação… Porque a loucura de Deus é mais sábia que a sabedoria humana, e a fraqueza de Deus é mais forte que a força do homem.

– 1 Coríntios 1:18-21, 25

O Rol de Honra daqueles que cumpriram o papel do terceiro tolo começa com o nome do Senhor Jesus, acusado de estar enlouquecido tanto por seus próprios parentes5 como pelos líderes dos Judeus6. O apóstolo Paulo, diante da acusação do Festo que “as muitas letras o está levando a loucura”, respondeu: “Não estou louco… o que estou dizendo é verdadeiro e de bom senso.”7 Uma estrofe de um dos mais belos hinos da Igreja:

Se o mar em tinta se tornar
E em papel o céu também
E a pena então
Sempre a correr
O amor de Deus a descrever
O descrever tão grande amor
Ao mar daria o fim
Mas onde pois
Está o livro
Em que escrever tal amor?

foi descoberta na parede de um manicômio.8

O mundo pode dizer “Quem ri por último não entendeu a piada” mas, para o terceiro tolo, o velho ditado ainda vale: “Quem ri por último ri melhor”. É para esses que estão reservadas as palavras “Muito bem, servo bom e fiel… Venha e participe da alegria do seu senhor.”9

Seja o terceiro tolo.


1 Os Guiness, “The Gravedigger File – Papers on the subversion of the modern church”
2 Eu peguei emprestado a frase “o terceiro tolo” do Guiness, porém a sua definação é um pouco diferente da minha. Na sua definação o tolo espiritual é o primeiro, enquanto o meu terceiro tolo está representado pelo seu segundo e terceiro tolo.
3 John Wimber, “I’m a fool for Christ, whose fool are you?” (Fita VHS). Wimber continuou dizendo “Eu não sabia que seria também a coisa tola aos olhos da Igreja.”
4 1 Coríntios 4:10
5 Marcos 3:21
6 João 10:20
7 Atos 26:24 e 25
8 “The love of God is greater far” por Fred­er­ick M. Leh­man; letras citadas descobertas em 1050
9 Mateus 25:21,23

Deixe seus comentários sobre esta matéria em nossa comunidade online.

A Multiforme Graça de Deus

Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas. – 1 Pedro 4:10 NVI

O Apóstolo Pedro ensinou que todos tem um dom, tem a sua expressão da graça de Deus, e que todos têm a responsabilidade de “administrar fielmente” o seu dom. No próximo versículo, ele deu dois exemplos de dons: dons de proclamação e dons de ministração, ambos capacitados pelo poder do Espírito Santo.

A palavra “dom” usado aqui pelo Apóstilo é a palavra “charisma” – pequenas expressões da graça de Deus – que é a mesma palavra utilizada por Paulo quando ele descreveu os dons do Espírito Santo em 1 Coríntios capítulo 12 versículo 4: “Ha diferentes tipos de dons, mas o Espírito é o mesmo”.

Cada um de nós tem um dom, um “charisma”, uma pequena expressão da graça (no Grego “charis”) de Deus. Mesmo que cada dom seja diferente, todos vêm do mesmo Espírito e têm o mesmo propósito, que nós podemos ver no próximo versículo da epístola de Pedro:

“Se alguém fala, faço-o como quem transmite a palavra de Deus. Se alguém serve, faça-o com a força que Deus provê, de forma que em todas as coisas Deus seja glorificado mediante Jesus Cristo, a quem sejam a glória e o poder para todo o sempre. Amém.”

O propósito de todos os dons é para que o Senhor Jesus e Deus o Pai sejam glorificados. Nós podemos revelar um pouco mais da glória de Deus neste mundo, quando usamos o dom que Ele nos deu para trazer honra e glória ao Seu nome.

Em versículo 10, Pedro utiliza uma frase, que na versão de Almedia foi traduzida como “a multiforme graça de Deus”, ou, na NVI, “a graça de Deus em suas múltiplas formas”. Precisamos entender que os dons que Deus deu a Seu povo não são todos iguais, não são cópias um do outro. Cada dom é uma expressão individual e única da graça de Deus, refletida através da vida, personalidade e temperamento daquele que o recebeu.

Eu sei que o dom que Deus me deu para ministrar é unicamente meu. É algo que eu recebi para que eu posso dar honra e glória ao nome do Senhor Jesus. Eu não posso exigir que outros ministram na mesma forma e com a mesma unção que eu tenho, nem posso tentar encaixar o meu dom dentro da unção ou modelo de ministração que uma outra pessoa tivesse. Eu preciso ser quem eu sou em Cristo, por que a forma da Sua graça que Ele me deu pode se expressar através de mim, e assim, O glorificar.

Creio que o corpo de Cristo, a igreja mundial, pode ser comparado a um diamante, com suas múltiplas facetas. Dependente da refleção e refração da luz numa determinada faceta, o diamente brilhará de uma forma diferente.

Cada um nós somos como as facetas – pequenas faces – do diamente, e devemos refletir Jesus de acordo com o nosso dom, para expressar e manifestar a Sua glória neste mundo. Devemos cumprir o mandamento do Senhor Jesus: “Assim brilhe a luz de vocês diantes dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus” (Mateus 5:16).

É por este motivo que Paulo escreveu ao seu “filho” Timóteo, encorajanado-o a não “negligenciar o dom” (charisma) que lhe foi dado, através da profecia e imposição de mãos (1 Timóteo 4:14). Novamente, em 2 Timóteo 1:6, o Apóstolo escreveu para que Timóteo despertasse (ou “mantesse vivo”) o “charisma”, o dom, que ele tinha recebido através da imposição dos mãos do Apóstolo.

Neste ano de 2008 vamos determinar que exerceremos, administrando fielmente, o dom que Deus nós deu para glorificar o Seu filho Jesus. Não podemos negligenciar o nosso dom, talvez precisaremos até despertá-lo de novo.

Seu dom não vai ser igual a outros. Você tem uma expressão única da “multiforme graça de Deus”, que o mundo desperadamente precisa ver. Não tenta imitar pregadores famosos ou pastores poderosos. Seja quem você é, iluminado pela luz de Cristo, refletindo a Sua glória neste mundo.

Vamos glorificar Ele com nossos “charismas”, nossas pequenas expressões da graça de Deus, neste ano de 2008.

Paul


Deixe seus comentários sobre esta matéria em nossa comunidade online.

Andando à beira do mar da Galiléia, Jesus viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Eles estavam lançando redes ao mar, pois eram pescadores. E disse Jesus: “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens”. No mesmo instante eles deixaram as suas redes e o seguiram. – Mateus 4:18-20

“Eu os farei pescadores de homens”. Estas palavras do Senhor Jesus, direcionadas a Pedro e seu irmão Andre, aparecem nos primeiros três Evangelhos, e são bem conhecidas pela grande maioria dos crentes. Gostamos de refletir sobre o significado desta frase, de ser um “pescador de homens”, normalmente interpretando-a como um “ganhador de almas”, ou um evangelista.

Porém, eu creio que estas palavras tiveram um significado ainda mais pessoal, mais individual, para Pedro.

Pedro era um pescador profissional. Lendo os Evangelhos, eu entendo que Pedro não somente trabalhou como pescador, mas amou o seu trabalho. Ser pescador foi a sua identidade, o seu orgulho. Esta profissão significava quem ele era: Pedro, o Pescador.

Nos evangelhos nós vemos o quanto Pedro se identificou com a pesca. Duas vezes nós temos relatos dele ter passado a noite inteira pescando (Lucas 5:5 e João 21:3). Depois da morte do Senhor Jesus, e Pedro ter negado que ele O conheceu, a reação de Pedro foi de voltar a pescar: “Vou pescar” (João 21:3 – e mesmo assim, o Senhor Jesus o restaurou, num processo que começou com Ele enchendo seu barco com peixe e preparando café de manhã – que incluiu peixe sobre as brasas).

Eu imagino que Pedro viveu para a pesca. Ele pescou o dia todo – e, às vezes, a noite toda também. Sua comida preferida foi peixe. Quando ele dormia, acredito que provavelmente sonhava com peixe!

E neste contexto podemos entender melhor o chamado do Senhor Jesus para Pedro. “Siga-me, e eu o farei pescador de homens”. Jesus não o chamou para abandonar completamente o seu dom, sua profissão, a sua habilidade. Porém Ele pediu uma entrega total do pescador, para que este pudesse se tornar pescador para o Rei e para Seu reino, um pescador de homens.

Nós vemos como Jesus logo começou a utilizar a habilidade natural de Pedro para promover Seu reino. Em Mateus capítulo 8, um barco dos discípulos se torna o meio de transporte para o mestre alcançar e libertar um endemoninhado, uma forma de transporte, aliás, que foi utilizada diversas vezes pelo Senhor Jesus. Em Mateus capítulo 13 um barco se tornou o seu púlpito para pregar às multidões na praia, bem como tinha acontecido em Lucas capítulo 5.

Mas, é em capítulo 17 de Mateus, versículos 24 a 27, que nós realmente vemos como a habilidade natural de Pedro para pescar, combinou com o poder sobrenatural do Senhor Jesus para providenciar o dinheiro para pagar o imposto do tempo:

Quando Jesus e seus discípulos chegaram a Cafarnaum, os coletores do imposto de duas dracmas vieram a Pedro e perguntaram: “O mestre de vocês não paga o imposto do templo?”
“Sim, paga”, respondeu ele.Quando Pedro entrou na casa, Jesus foi o primeiro a falar, perguntando-lhe: “O que você acha, Simão? De quem os reis da terra cobram tributos e impostos: de seus próprios filhos ou dos outros?”
“Dos outros”, respondeu Pedro. Disse-lhe Jesus: “Então os filhos estão isentos. Mas, para não escandalizá-los, vá ao mar e jogue o anzol. Tire o primeiro peixe que você pegar, abra-lhe a boca, e você encontrará uma moeda de quatro dracmas. Pegue-a e entregue-a a eles, para pagar o meu imposto e o seu”.

No dia de Pentecoste, quando Pedro recebeu a unção, a capacitação do Espírito Santo, nós finalmente vemos o pescador jogando a sua rede e pescando 3000 almas numa só vez:

Pedro respondeu: “Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo. Pois a promessa é para vocês, para os seus filhos e para todos os que estão longe, para todos quantos o Senhor, o nosso Deus, chamar”.
Com muitas outras palavras os advertia e insistia com eles: “Salvem-se desta geração corrompida!”
Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas. – Atos 2:38 a 41

Eu creio que no exemplo de Pedro nós vemos uma verdade importante sobre nossos dons e ministério. Deus planejou e projetou seu destino antes de você nascer, e já te deu habilidades, interesses e desejos que, depois de serem entregues ao Senhor Jesus, santificados pelo Seu sangue e remidos para Seu reino, formam uma parte fundamental do seu destino: “Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos” (Efésios 2:10).

As coisas que nós gostamos de fazer, aqueles dons e habilidades naturais, quando entregues ao Senhor Jesus e ungidos com Seu Espírito, muitas vezes formam a base de nosso ministério.

Em Atos 1:8 Jesus prometeu aos Seus seguidores que o Espírito Santo iria “descer sobre” eles. Ele usou a mesma linguagem em Lucas 4:18 quando falou que “O Espírito do Senhor está sobre mim”.

A unção, a capacitação do Espírito Santo vem sobre nos. Ele não vai ungir nossa tentativa de imitar um pastor poderoso ou um ministro famoso. Seu Espírito quer descer sobre nos como um manto, se encaixando perfeitamente com a forma que Deus nos criou, com os dons, desejos e habilidades necessários para cumprir nossa missão neste mundo.

Eu pergunto se Pedro esqueceu do seu chamado de ser um “pescador de homens” na noite em que o Senhor Jesus foi traído. Em João capítulo 18, versículos 10 e 11, podemos ver que ele portou uma espada, talvez pensando que seria um grande soldado como o Rei Davi, assim lutando nas batalhas do Senhor e defendendo o Messias:

Simão Pedro, que trazia uma espada, tirou-a e feriu o servo do sumo sacerdote, decepando-lhe a orelha direita. (O nome daquele servo era Malco.) Jesus, porém, ordenou a Pedro: “Guarde a espada! Acaso não haverei de beber o cálice que o Pai me deu?”

O resultado desta atitude foi desastroso: Malco perdeu uma orelha, Jesus precisou fazer mais um milagre para compensar aquela “ajuda” do seu discípulo, e Pedro recebeu uma repreensão pública do Senhor na hora que ele imaginou que seria da sua gloriosa vitória.

Podemos aprender com Pedro que devemos ser quem Deus nos criou para ser. Ele nós criou com propósitos, e mesmo que Ele que nos unja com Seu Espírito, tudo que Ele tem plantado, tem colocado dentro de nós, faz parte de Seu plano para nosso destino.

Paul


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: