Publicado por: clezius | junho 2, 2008

A Geração Sem Nome, Sem Rosto

A Geração Sem Nome, Sem Rosto

Enquanto a liderança espiritual não voltar a ser ocupada por homens que preferem a obscuridade, continuaremos a presenciar uma constante deterioração da qualidade do cristianismo popular, e possivelmente chegaremos ao ponto em que o Espírito Santo, entristecido, se retirará, como a glória de Deus se apartou do templo. – Dr A. W. Tozer (Por que tarda o plena avivamento? – Ravenhill)

“Eu sou o SENHOR; este é o meu nome! Não darei a outro a minha glória nem a imagens o meu louvor.” – Isaías 42:8


“Paul Cain foi bem conhecido como um evangelista durante o avivamento de cura dos anos de cinquenta nos EUA, e demostrava dons espirituais extraordinários. No auge do seu ministério ele sentiu o chamado de Deus para retirar-se para “atrás do deserto” e esperar até que o ministério dos últimos dias começasse. Depois de quase trinta anos de obscuridade, Paul tem emergido com voz profética à igreja, reconhecida internacionalmente, que insta um retorno à humildade, integridade e uma devoção apaixonada ao Senhor” (Fonte: The Morning Star – Volume 7 Número 1) .

Paul tem tido uma visão profética recorrente, em que ele ve estádios lotados e pessoas sendo curadas por uma nova geração de ministros, uma geração “sem nome, sem rosto” que, ungida com o poder do Espírito Santo, não busca fama para si mesmo, mas devolve toda a honra e glória ao Senhor Jesus:

Não seria muito bom se você ligasse o jornal nacional e todos os apresentadores estivessem dizendo “Senhores e Senhoras, não temos notícias para anunciar hoje à noite. Aparentemente, somente notícias boas. Não temos nenhuma ativadade desportiva para anunciar, também, porque parece que todos os campos de esportes, os campos de futebol, os campos de rugby – sei lá o que, aqueles campos, estão superlotados com centenas e milhares de pessoas”, e estão anunciando pelos alto-falantes “temos uma ressurreição de um morto aqui” e alguém pula de um leito de hospital, logo que chega no nectrotério, e está vivo de novo. Imagine como isso iria atrair uma multidão!
E pessoas estão saíndo andando de cadeiras de rodas, e as pessoas que estão no palco, nós não sabemos quem são esses ministros, nós não os conhecemos: homens, mulheres, jovens, não sabemos quem são. São pessoas quase sem rosto. E, mesmo que pareça tão absurdo, haverá um dia, quando trocaremos a respeitabilidade por tanta unção que o nome de Deus, o nome do seu Filho, será tão famoso em nosso dias como foi no ano de 33 AD, e ainda mais famoso, por causa de seus atos de misericórdia, e a demostração do seu poder e a sua glória. Nós veremos este dia. Alguns de nós não viverão para ve-lo, mas alguns de nós poderão viver para ver aquele dia. Amém.

Fonte: Paul Cain, gravação Anointing verses Respectability
Conferência Holiness Unto the Lord, Wellington, Nova Zelândia, 1991
Disponível em nossa área de download

Nessa mesma conferência em Nova Zelândia em 1991, Paul falou mais sobre a promessa que o Senhor deu durante seus anos silenciosos. Enquanto jovem, Paul era um dos evangelistas do movimento chamado “A Voz da Cura”, mas ele viu muitos dos famosos ministros daquela época cairem na desgraça: alguns na imoralidade, outros no alcoolismo, outros em escândalos financeiros. O maior evangelista do movimento, William Branham, morreu em um acidente de carro, depois de ter ensinado heresias que levaram à formação de uma seita de “Branhamismo”, ativa até hoje. Apesar de vários avisos, Branham não quiz voltar a excercer seu verdadeiro ministério de um evangelista profético, e preferiu ensinar as suas “revelações” extra-Biblicas, mesmo depois de ser advertido que tal atitude levaria à sua morte precoce.

Com seu coração entristecido com as coisas que ele viu dentro do movimento, Paul Cain retirou-se do ministério para um período de quase trinta anos. Durante esse tempo ele recebeu a promessa de Deus de que Ele iria levantar uma nova geração, uma geração “sem nome, sem rosto” que seria ungida para fazer grandes milagres e maravilhas, mas que não buscaria a glória para si mesmo. Como sinal do surgimento dessa geração, o Senhor deu um sinal para Paul: a sua mãe não morreria até que aquela geração estivesse no mundo.

Naquela conferência em Nova Zelândia em 1991, Paul anunciou que a sua mãe tinha acabado de falecer, e que aquela geração já estava surgindo no mundo.

É a sua geração, essa nova geração, a geração “sem nome, sem rosto”.

Deixe seus comentários sobre esta matéria em nossa comunidade online.

Anúncios

Responses

  1. Não concordo que William Branham pregou heresia…para mim tudo q ele pregou se encontra perfeitamente na bíblia…também não concordo que ele teve uma morte prematura…apenas acabou o tempo dele aqui na terra…ele deixou mais de 1100 sermões gravados,…sua mensagem ainda continua mundo afora, além de que ,todos nós estamos sujeitos a morte natural independente da idade e da forma que ela (a morte natural) vem…estamos sujeitos a acidentes….de outra forma teríamos que crer q todos os cristão que morreram em acidentes estavam em falta com Deus, crer assim é um equivoco!

  2. A PAz do Senhor Jesus! Amados aqui esta uma publicação feita por mim sobre esse assunto mas, sem a pretenção de exaurir o mesmo. Porém precisamos ler e compreender o que a escrita esta nos dizendo; O autor desse argumento relata que o Sr Willian Bramham foi varias vezes advertido sobre a forma de sua morte, isso me parece profético e se levarmos em conta que Deus exorta a quem ama e aquele a quem tem por filho, além de sabermos que a palavra de Deus é apta para redarguir, exortar, consolar e ensinar, temos ai uma grande prova do amor de Deus. No entanto encontramos, ainda, pessoas que amam mais a seus lideres que a Deus e se tornam discipulos deles e não de Jesus. Em todas a denominações veremos discipolos de Wesley, de Calvino, de Malafaia, de Branham de Macedo etc. Nesse Caso contrariamos a citação que esta em Isaías 42:8 “Eu sou o SENHOR; este é o meu nome! Não darei a outro a minha glória nem a imagens o meu louvor.” – Isaías 42:8 então refletirmos nos é nescessario estamos servindo a Deus ou ao homem? Tememos mais aquele que pode matar o corpo ou quem pode matar o espirito? A quemn servimos? Lembrando sempre que a palavra nos diz em 1º Pe. que de quem o home se deixa dominar dele é escravo!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: